sábado, 2 de julho de 2016

Configurando Linux para Gravação e Produção Musical

Se você é um programador, você encontrará sistemas GNU/Linux muito poderosos e robustos. Quando se trata de áreas como artes visuais, vídeo, negócios ou jogos, você vai encontrar algumas grandes ferramentas, mas com peculiaridades e alguns desafios. Você pode conseguir o que você precisa na maioria dos casos, mas a configuração e curva de aprendizagem pode não ser tão rápida quanto em sistemas proprietários.

Neste artigo, vamos cobrir as noções básicas de como configurar seu sistema Linux para fazer música, com destaque para o que funciona melhor e reconhecendo os desafios com recomendações sobre como encontrar ajuda.

Começando - Ferramentas

Para começar com áudio, precisamos de alguns alto-falantes (fones de ouvido contam). Para usar qualquer som além daqueles gerados inteiramente por computador, queremos alguma entrada de som também. Sistemas Linux mais antigos utilizados OSS (Open Sound System), e interfaces e computadores com Firewire usam FFADO, mas para quase todos hoje em dia, o foco é ALSA: Advanced Linux Sound Architecture .

Felizmente, ALSA é parte do kernel Linux, você não precisa saber muita coisa sobre ele como um usuário final. Tudo que você precisa saber é se o seu hardware é suportado. O hardware onboard da maioria dos computadores vai funcionar. Para melhor qualidade de som e compatibilidade com guitarras, microfones e outros equipamentos de música, uma interface de áudio dedicada faz sentido. Qualquer interface "classica" vai funcionar, que inclui muitas opções acessíveis básicas. Um número razoável de interfaces mais sofisticadas são suportados também. Para as opções com qualidade de som de alto nível, temos por exemplo a Focusrite Scarlett série. Sendo atualizados apenas por voluntários, as listas mais acessíveis de interfaces com suporte raramente são completas ou atualizadas, mas há pessoas amigáveis ​​em fóruns e IRC que podem ajudar.

Configuração do Kernel

Normalmente baixa latência é necessária para a fazer música, então um kernel de baixa latência é recomendado (mas não absolutamente necessário). A melhor aposta é a instalação de um pré-embalado, como parte de um sistema dedicado à música.

Distros e repositórios

Área de trabalho KXStudio

Um sistema de música dedicado não é necessário para começar com o básico. A maioria dos softwares básicos funcionam em praticamente todas as distribuições GNU/Linux (e qualquer um pode ajustar qualquer sistema para conseguir qualquer coisa, se isso é algo que você quer gastar o seu tempo). No entanto, sistemas de música dedicados oferecem muitos benefícios.

Uma sistema muito popular é o KXStudio , que nada mais é que uma magnífica coleção de repositórios que podem ser adicionados facilmente a qualquer distribuição baseada no sistema Debian (e portanto, também no Ubuntu). Uma vez que os repositórios KXStudio são adicionados, uma simples atualização e instalação dos itens recomendados lhe dará um sistema completo com um kernel de baixa latência, toneladas de grandes programas, um conjunto dedicado de ferramentas de gestão, e toneladas de efeitos, plugins, e sintetizadores . Os mantenedores de KXStudio (principalmente um cara, na verdade) fazem um trabalho maravilhoso para manter as coisas atualizadas e atendendo aos pedidos. Tenha em mente que este é, basicamente, trabalho voluntário feito de forma eficaz em tempo integral, então considere uma doação.

Outros pacotes e distribuições focadas em áudio existem, nomeadamente AV Linux e Fedora Jam . Vários outros sistemas têm sido feitas ao longo dos anos, mas a maioria não são atualizados ou ativo.

Uma nota sobre software livre: Embora distros com foco em áudio como Musix e Dynebolic receberam endossos FSF, a maneira mais up-to-date para ter um sistema de música 100% free/libre/open é usar o sistema Debian núcleo ou o FSF- endossado Trisquel e adicionar os repos KXStudio para a sua instalação.

JACK

Configuração das conexões JACK com ferramentas Cadence
Enquanto ALSA trabalha diretamente com o hardware, outras camadas de áudio gerenciam todos os sinais de vários programas e enviam eles a ALSA. Alguns programas apoiam ALSA diretamente, enquanto outros trabalham com PulseAudio ou Phonon do KDE, que trabalha com GStreamer ou VLC backends. Toda essa confusão, basicamente, significa que a configuração do sistema interage de diferentes maneiras com programas diferentes, dependendo de quão bem eles suportam e interagir com essas estruturas.

O principal sistema de áudio dedicado à música no Linux é chamado JACK . Ele fornece um backend que suporta caminhos arbitrários de áudio (e MIDI, o sistema utilizado para o envio de sinais de controle para sintetizadores) de e para todos os programas suportados. Com Jack, um sintetizador de saída pode entrar em um plug-in reverb e, em seguida, em um programa de gravação enquanto um programa toca uma bateria em separado. JACK pode iniciar e parar toda a reprodução dos vários programas quando definido para ser o mestre.

Jack se aproxima do princípio Unix de ter pequenos programas que fazem uma ou algumas coisas bem, em vez de programas monolíticos all-in-one. Claro, isso requer ferramentas de gerenciamento para mantê-lo todos juntos. KXStudio fornece a suíte Cadence de ferramentas, que muitas pessoas usam fora do KXStudio também. A maioria das ferramentas Unix focados em Jack vêm de Jon Liles, o autor do Non Session . Eles fornecem ferramentas separadas de mixer, de gravação, sequenciador, e um gerenciador de sessão. Um gestor de sessão é uma ferramenta que registra todas as diferentes configurações e conexões que você tem em JACK e salva-los como um conjunto de modo que você pode fechar e reabrir todos estes programas independentes tudo configurado da mesma maneira depois automaticamente.

Infelizmente, enquanto o conceito de Jack e modularidade faz sentido, o nível de apoio e a qualidade das ferramentas é inconsistente. Algumas combinações funcionam perfeitamente e sem problemas, mas alguns programas oferecem suporte incompleto ou mesmo nenhum apoio. Alguns programas de apoio JACK incentivam os usuários a fazer tudo internamente de qualquer maneira.

Iniciantes em fazer música GNU/Linux deve tentar compreender os conceitos básicos de JACK. Isso irá ajudá-los a compreender o ecossistema geral de instrumentos musicais que estão disponíveis, ou não optar por abraçar a abordagem modular.

Em outro artigo, vamos focar em programas que suportam JACK, mas podem ser usados ​​de forma independente também.

O apoio comunitário

O Linux Musicians Forum é o melhor lugar em geral para começar a trabalhar e se envolver. Confira também o canal #opensourcemusicians IRC em Freenode.net (muitos projetos têm seus próprios canais também). O Linux Áudio Wiki é um recurso excelente também, mesmo que alguns artigos sejam bastante datados.

Na prática, a criação de seu sistema pode envolver alguma solução de problemas. Em alguns laptops, por exemplo, se quisermos usar configurações de baixa latência confiáveis ​​(necessários para uma resposta rápida quando tocar ao vivo com sintetizadores e efeitos), precisamos desligar a rede wifi e definir o CPU para o modo de desempenho. Apesar de existirem bons tutoriais sobre estes tópicos, cada caso é um caso neste mundo complexo GNU/Linux com suas ferramentas e engrenagens diversas.

Artigo Original: aqui